Por um Mundo melhor

Quando convidei a Catarina Ferreira a escrever um artigo para o blog, tinha em mente o segmento das Dicas de Viagem por Portugal, mas, tendo sido o ano de 2020 tão diferente, a Catarina perguntou-me se poderia partilhar a sua dica de viagem num sentido mais amplo, mostrando que viajar é algo que fazemos também interiormente.

Viajamos nas emoções e 2020 foi uma viagem surpreendente, com embates connosco próprios, onde fomos abanados e obrigados a reagir.

A Catarina sente que uma grande viagem iniciada em 2020 foi retomar o seu papel de voluntária. Eu fui durante 3 anos voluntária da Cruz Vermelha, depois decidi que prefiro ajudar instituições diferentes ou pessoas/famílias de forma mais directa. Defendo que no último ano do ensino escolar obrigatório, deveria haver a disciplina de Voluntariado, pois só assim podemos perceber numa fase cedo das nossas vidas, as realidades que existem no mundo. Acho mesmo que é algo primordial para criar empatia.

É essa experiência, essa "dica de viagem" solidária que a Catarina Ferreira quer paartilhar convosco:


"Começava o ano de 2020, uma nova década, um ano especial e muitos, muitos projetos a caminho de se concretizarem. Aliás, de um modo geral, muitos dizem que o ano de 2020 seria um dos melhores das suas vidas.

Até começou bem, mas o desfecho final todos nós sabemos. A doença, o desconhecimento, a pandemia, a incerteza, e de um momento para o outro em três meses, o mundo modificou-se completamente…para todos. De uma vida pessoal e profissional completamente agitada sempre com mil e uma coisas para fazer passei para um vazio imenso, profundo, inclassificável: de 8 a 80, drasticamente! E agora?

Na conversa com uma querida amiga surgiu a ideia: “e porque não vens fazer voluntariado, estamos a precisar!” Dei por mim a recordar todas as ações de voluntariado que já tinha feito e a questionar-me: “Porque não? Sempre posso ajudar alguém.”

Em Junho de 2020, iniciei o meu percurso de voluntária na associação CASA, Centro de Apoio ao Sem Abrigo, em Lisboa, na área da cozinha. Ao contrário do que se possa pensar e devido a toda a envolvente socioeconómica, o CASA extrapolou a sua área de atuação e em parcerias com entidades como a Câmara Municipal de Lisboa, passou a fornecer refeições e snacks a pessoas também elas com necessidades consequentes da pandemia. Tudo isto é resultado de um imenso trabalho de equipa. Existem as equipas de profissionais e os voluntários, cada uma com a sua função e com o seu horário.

No meu primeiro dia, fiz e embalei cerca de 150 sandes, ajudei a arrumar o armazém e embalei cerca de 80 refeições. Saí de rastos, cansada, mas tão feliz. Ao fim de alguns meses voltei a sentir-me realizada: o pouco que fiz iria permitir que alguém pudesse ter uma refeição. Ao longo destes meses, tenho contribuído com o meu trabalho e tenho aprendido bastante: a cozinha é um mundo obscuro para mim. As funções têm sido várias: fazer sandes e empacotar, embalar comida, cortar legumes, batatas, cenouras, cebolas, cogumelos, etc., em escala proporcional às centenas de refeições preparadas para almoço e jantar, limpar o chão, preparar snacks entre outros; não há tempo livre, é preciso ter tudo pronto a horas. Já lá vão 6 meses e espero continuar, desejo ajudar porque isso também me traz boas sensações.

Como resultado da ação do meu voluntariado, os que estão à minha volta, familiares e amigos, também têm ajudado: já entreguei várias doações de roupa, sapatos, roupa de cama, entre outros. Tem sido uma cadeia de ações com um objetivo: ajudar e proporcionar o melhor.

O CASA precisa constantemente de voluntários, há sempre o que fazer. Para além de todo o trabalho de logística, armazenamento, preparação de refeições e outros, há também o serviço de distribuição de comida pelos diversos lugares abastecidos pelo CASA. Existem também as ações de apoio às famílias e distribuição de roupa. Se todos dermos um bocadinho, o futuro será promissor.

Vejam as diferentes ações e campanhas solidárias onde o CASA está presente. A última grande ação decorreu no período do Natal, a “Ceia Solidária de Lisboa”, que contou com a colaboração de seis chefs de cozinha, quatro agências de publicidade, duas associações de solidariedade social e muitos voluntários que em conjunto proporcionaram a ceia de natal a cerca de 1500 pessoas.

Da minha parte, obrigada e muitos parabéns ao CASA pelo excelente trabalho que fazem todos os dias."

Informações:

CASA – Centro de Apoio ao Sem Abrigo

Morada: Praça Marechal Humberto Delgado, 1500-423 Lisboa (Metropolitano de Lisboa – P.M.O.I)

Website: http://casa-apoiosemabrigo.org

Gestão de voluntariado: André Correia – contacto: 912 445 269



Obrigada por esta sugestão. Adorei.

Se nunca fizeram voluntariado, escolham uma causa que seja mesmo importante para vocês e envolvam-se. Vão aprender muito sobre a sociedade, sobre o outro e sobre vocês próprios.

Nós fazemos todos parte da mesma casa e quem é que não gosta de ter harmonia em casa?


You Might Also Like:

Cátia Garcia

"The real voyage of discovery consists not in seeking new landscapes but in having new eyes" - Proust

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon