O Carnaval em Lisboa já foi assim

É Carnaval! Folia, cor, música e muita dança são ingredientes necessários para celebrar este dia. E, se hoje tendemos a imitar as tradições do Brasil, com plumas, lantejoulas e samba, em Lisboa nem sempre foi assim! Conhecem as tradições esquecidas do Carnaval em Lisboa?!


Antigamente, na capital, povo e elite não se misturavam em festejos carnavalescos. A aristocracia organizava bailes de máscaras ao estilo de Paris ou Veneza, em palacetes ou em teatros, como o primeiro que aconteceu em 1823 no Teatro do Bairro Alto. Os bailes eram acompanhados por orquestra e dançavam-se polcas, valsas ou até o cancã!


Mas era no coração da cidade, que a folia acontecia! As Danças deliciavam o povo - grupos, quase sempre só homens, alguns mascarados de mulher, que executavam números acrobáticos e exigiam grande destreza, força e equilíbrio! Desfilavam Corsos de Carros Alegóricos, patrocinando o nome da casa comercial. Partiam da recém-inaugurada Av. da Liberdade, desciam ao Rossio e subiam até ao Chiado. No percurso, foliões como o galego, a sopeira, o político animavam a festa. O mais famoso era o Xé-Xé, vestido à moda do séc. XVIII, com casaca de seda colorida, calção e meia branca, sapatos de fivela, punhos de renda e um enorme chapéu bicorne - satirizava os nobres e políticos de comportamento ridículo e ultrapassado.


Estas tradições perdem-se após a República de 1910 e a crítica social inerente ao Carnaval é reprimida pelo regime do Estado Novo. Mas nós não queremos que sejam esquecidas, por isso aqui ficam as imagens da época!





Artigo escrito pela Equipa da This is Lisbon Wlaking Tours.

You Might Also Like: