"Nós"

Há uma característica portuguesa (ou talvez até dos povos do sul da Europa) que surpreende e agrada os estrangeiros: o à vontade com que falamos uns com os outros, mesmo se somos "estranhos". Estava no eléctrico a caminho de Belém com um casal. Contava-lhe histórias e falavamos de trivialidades, quando noto que uma senhora se aproxima e diz-me: "Estou a gostar tanto de a ouvir. Não se esqueça de os levar aos Kuchen" e sorri. Com Kuchen queria ela dizer, os Pastéis de Belém em alemão. Ao ouvirem a palavra em alemão, eles ficaram logo mais atentos ao que se estaria a passar. A senhora continuou a contar que tinha aprendido alemão, mas que já esquecera tudo, no entanto adorava ouvir a língua e sempre que tinha oportunidade gostava de dizer alguma coisa. Para que eles entedessem que a senhora estava apenas a ser simpática e a querer dar uma dica, expliquei-lhes a situação. Não fossem achar que íamos ser assaltados!!! Agradeceram, sorriram, a senhora também e ela continuou. No tempo de 2 minutos esta senhora contou-me que morava ali perto e por isso vai aos pastéis sempre que pode, que adora ver Lisboa com estrangeiros, que adora dias de sol (como naquele dia) e que queria muito aproveitar a vida porque lhe tinha sido diagnosticado um cancro de mama que ela conseguira combater! Em 2 minutos, sem me conhecer, esta senhora sentiu que podia dizer tudo isto! A paragem chegou, despedimo-nos desejando sorte na Vida a cada um. A reacção imediata do casal foi perguntar se eu a conhecia, se era da minha família, uma tia? Não, apenas alguém que lhes quis indicar algo de forma a não falharem um must do em Lisboa e que sentiu que havia uma boa atmosfera para falar um pouco de si. Contei-lhes o que me dissera. Eles silenciaram um pouco e acrescentaram: "os povos nórdicos nunca serão capazes de criar laços assim"

You Might Also Like: